Páginas

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Dar não é fazer amor...

Fotos para a formatura!
Recebi este poema de minha amiga linda, fofa, gotosinha Vanessa Soromo. Ela mora em Codó (MA) e nos conhecemos na faculdade de jornalismo. De cara, nos demos bem, detalhe, somos totalmente diferente uma da outra, ela é bem melhor que eu, claro, mesmo sendo um dilema pra Freud... mas sem detalhes.... Nós costumamos, quando a preguiça deixa, trocar e-mails contanto nossas aventuras diárias (que a maioria das vezes é trabalho, trabalho e trabalho) mas entre um trabalho e outro nós vivemos nossos dilemas sentimentais e nossos e-mails também são recheados deles, não vou entrar nos detalhes dos e-mails, porque são muiiiiito pessoais. Vanessa é minha confidente online, ela é um tipo de Diário, que além de escutar (ou neste caso ler) me responde... e eu adoro, porque ela sempre fala alguma coisa que me deixa feliz.  Nossos e-mails também são uma forma de nos mantermos perto,  eles não deixa que o tempo, a distância e o trabalho nos afaste, a exemplo de algumas amizades que se perderam ao longo dos anos... E eu nem sou besta de perder Vanessinha de vista, uma joia rara que Deus colocou no meu caminho para eu ver que nem sempre  sou a mais complicada do mundo kkk ( Pan má falando)


Quer conhecer Vanessa melhor? Acesse sua página na net, eu recomendo  http://vanessasoromo.zip.net

 
DAR NÃO É FAZER AMOR

Dar é dar.
Fazer amor é lindo, é sublime, é encantador, é esplêndido.
Mas dar é bom pra cacete.
Dar é aquela coisa que alguém te puxa os cabelos da nuca...
Te chama de nomes que eu não escreveria...
Não te vira com delicadeza...
Não sente vergonha de ritmos animais. Dar é bom.
Melhor do que dar, só dar por dar.
Dar sem querer casar....
Sem querer apresentar pra mãe...
Sem querer dar o primeiro abraço no Ano Novo.
Dar porque o cara te esquenta a coluna vertebral...
Te amolece o gingado...
Te molha o instinto.
Dar porque a vida é estressante e dar relaxa.
Dar porque se você não der para ele hoje, vai dar amanhã, ou depois de amanhã.
Tem pessoas que você vai acabar dando, não tem jeito.
Dar sem esperar ouvir promessas, sem esperar ouvir carinhos, sem
esperar ouvir futuro.
Dar é bom, na hora.
Durante um mês.
Para os mais desavisados, talvez anos.

Mas dar é dar demais e ficar vazio.
Dar é não ganhar.
É não ganhar um eu te amo baixinho perdido no meio do escuro.
É não ganhar uma mão no ombro quando o caos da cidade parece querer te abduzir.
É não ter alguém pra querer casar, para apresentar pra mãe, pra dar
o primeiro abraço de Ano Novo e pra falar:
"Que que cê acha amor?".
É não ter companhia garantida para viajar.
É não ter para quem ligar quando recebe uma boa notícia.
Dar é não querer dormir encaixadinho...
É não ter alguém para ouvir seus dengos...
Mas dar é inevitável, dê mesmo, dê sempre, dê muito.

Mas dê mais ainda, muito mais do que qualquer coisa, uma chance ao amor.
Esse sim é o maior tesão.
Esse sim relaxa, cura o mau humor, ameniza todas as crises e faz você flutuar

Experimente ser amado...

Luiz Fernando Veríssimo

2 comentários:

juliocaesarpedro2 disse...

gostei muito enteressnte !

Vanessa Soromo disse...

Pan, me emocionei!!!
Eu que não sou louca de perder você de vista!
Obrigada por tudo!

Cheiroooo!!!